top of page

Nossos Artigos

Confira abaixo nossos artigos e postagens.

 

Para conhecer nossos cursos CLIQUE AQUI.

Aterramento TN-S

Hoje vamos abordar os fundamentos sobre esquema de aterramento TN-S mas antes gostaria de receber avisos sobre nossas postagens via whats?



Em artigo anterior,  falamos a respeito dos esquemas de aterramento, conforme definido pela norma ABNT NBR 5410:2004 (Instalações Elétricas de Baixa Tensão), ilustrando as principais diferenças entre os diversos tipos existentes.


Neste artigo abordaremos o esquema de aterramento TN-S, que é o mais usado, sendo considerado pela norma como o esquema padrão, sendo os demais exceções voltadas para casos específicos.


A figura 1, a seguir, ilustra o esquema TN-S, também conhecido como esquema a 5 fios, sendo o neutro e o terra separados. O terra é chamado na norma de PE (protection earth).

 

aterramento TN S
Figura 1 - Esquema TN-S

A principal vantagem do esquema TN-S é que o condutor PE fornece um caminho de baixa impedância para a circulação da corrente de falta entre uma fase e a massa metálica, conforme ilustrado na figura 2, a seguir. Neste caso, considerando-se que a proteção de sobre-corrente do circuito esteja adequadamente dimensionada, a falta será extinta em centésimos de segundo.


No caso da perda do aterramento do transformador, que pode acontecer por acidente, erro humano, corrosão, etc., o condutor PE continua fornecendo um caminho de baixa impedância, conforme ilustrado na figura 3, protegendo a instalação, permitindo que a proteção de curto-circuito atue adequadamente.


A figura 4 abaixo ilustra corrosão de hastes de aterramento após muitos anos de uso. Uma das principais causas de corrosão é o acoplamento galvânico, quando se misturam metais diferentes debaixo da terra, notadamente aço e cobre.  


A situação mais perigosa ocorre quando o condutor PE encontra-se desconectado, pois neste caso não haverá um caminho fechado para a corrente de falta circular. Se esta falta por gerada pela ação de uma pessoa, conforme mostrado na figura 5 abaixo, o “aterramento” da falta se dará através do corpo desta pessoa.


No pior caso possível, que é a pessoa descalça com os pés no solo, considerando-se um sistema com tensão fase-fase 380 V, a corrente de choque será aproximadamente 200 mA. Esta ordem de grandeza não sensibilizará a proteção de sobre-corrente.


Caso o circuito não possua uma proteção diferencial residual a pessoa estará desprotegida, podendo até mesmo vir a óbito. A figura 6 a seguir mostra os valores típicos referidos na literatura, a respeito dos valores de corrente elétrica e as respectivas consequências ao corpo humano, salientando-se que o referido choque (200 mA) está muito acima do valor 20 mA, a partir do qual o choque pode ser fatal.

 

aterramento - terra
Figura 2 – caminho da falta à terra - esquema TN-S
aterramento - neutro do trafo
Figura 3 – neutro do trafo desconectado - esquema TN-S
aterramento - corrosão das hastes
Figura 4 – corrosão em hastes (fonte: Erico)
aterramento - choque
Figura 5 – choque - esquema TN-S
aterramento - intensidade de corrente
Figura 6 – intensidade de choques e danos

Atuamos com treinamentos diversos na área de mecânica e elétrica.


Precisa treinar sua equipe no contexto do aterramento?


Consulte-nos pelo whats 11 95696 7808.


Escrito por: Ricelli Camargo

Eng. Eletricista pela Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI

25 anos de experiência em projetos elétricos





79 visualizações0 comentário

コメント


loja do mecanico.png
bottom of page