Como Funciona o Secador de Ar por Refrigeração?

O Ar Comprimido é um tipo de energia muito utilizado, seja nos meios industriais ou em uma simples borracharia. Vemos aplicações em máquinas complexas de automação industrial ou numa ferramenta pneumática usada em uma linha de montagem automotiva.


Sua aplicação é tão diversa que podemos escrever diversos artigos a respeito.

O seu uso é tão comum devido a facilidade de obtenção do Ar Comprimido, basta possuir um compressor de ar dimensionado para a necessidade a ser utilizada e pronto, o ar já está disponível em qualquer lugar.

Embora o ar esteja disponível e em abundância, sua qualidade nem sempre é a ideal para o uso e por conta disso precisamos tratá-lo para as condições necessárias. O tipo de tratamento dependerá da necessidade em questão, podendo ser um simples método de filtragem, com ou sem secagem do ar, até processos mais complexos de purificação. 

Nesse artigo, abordaremos apenas o processo de secagem, ficando os demais temas para artigos futuros.

Mas de repente, você pode estar se perguntando:

  • O ar comprimido é molhado a ponto de ser necessário secá-lo?

  • De onde vem essa água?

As respostas são muito simples, sim, o ar comprimido tem umidade e sua origem está na sua própria composição, a saber:

Figura 1: Composição do Ar Atmosférico

Como pode ser visto, existe água na composição do ar na forma de vapor. Embora sua quantidade seja, relativamente, pequena quando comparado com o nitrogênio ou o oxigênio, temos uma quantidade de água suficiente para condensar em determinadas condições de temperatura e pressão, sendo essa água líquida prejudicial aos sistemas pneumáticos.

Daí vem a necessidade de promovermos a secagem do ar e o equipamento que tem essa finalidade é chamado de Secador de Ar. Os principais tipos de secador que encontramos comercialmente são:

  • Secador de Ar por Absorção

  • Secador de Ar por Adsorção

  • Secador de Ar por Membrana

  • Secador por Refrigeração 

Cada um desses tipos de secadores atua de maneira distinta e apresentaremos aqui, apenas o funcionamento do secador por refrigeração.


Mas afinal, o que controla a transformação do vapor do ar em água líquida? Esse fenômeno está relacionado com a umidade relativa que por definição é a relação entre a massa de vapor existente no ar pela massa de vapor de saturação. Em outras palavras, é a relação ou divisão, da quantidade de massa que se tem no ar na forma de vapor pela quantidade máxima de vapor de água que o ar tem capacidade de reter.


A umidade relativa é uma propriedade que varia significativamente com a temperatura.


Com objetivo de facilitar o entendimento, faremos a seguinte ilustração hipotética:

Imaginemos que numa temperatura de 30 graus Celsius, o ar tenha a capacidade para absorver 10 gotas de vapor, porém naquele momento temos apenas 8 gotas, neste caso, temos a umidade relativa de 80%.

Digamos agora, que a temperatura caia e nessa nova situação, o ar passa a ter capacidade de reter no máximo 8 gotas de vapor d'água. Embora a quantidade absoluta de gotas d'água existentes se mantém constante, a umidade relativa não, e passa a ser de 100%, conforme indicado abaixo:

Continuando o raciocínio, imaginemos ainda que a temperatura caia mais uma vez e que 6 seja a quantidade de gotas máximas que o ar consegue cai reter na forma de vapor d'água. Como nessa condição existe mais gotas na forma de vapor que o ar consegue suportar,a umidade relativa continua 100% e o excedente condensa, conforme ilustrado a seguir: