top of page

Nossos Artigos

Confira abaixo nossos artigos e postagens.

 

Para conhecer nossos cursos CLIQUE AQUI.

DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DE CABOS ELÉTRICOS

O tema de hoje é DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DE CABOS ELÉTRICOS mas antes de começarmos, gostaria de receber avisos sobre nossas publicações via Whats app?



cabos elétricos

Estamos na era da competitividade, onde a redução de custo é uma exigência de todo projeto.


Entre os benefícios em se considerar os aspectos técnico-econômicos:


👉Economia de energia durante a vida útil da instalação, amortizando o investimento inicial, levando-se em conta o custo de energia que deixará de ser pago.


👉Aumento da vida útil: equipamentos e dispositivos elétricos adequados, em projetos otimizados promoverão uma redução nas paradas para manutenção, o que reflete em economia nos custos de manutenção.


👉Marketing ambiental: empresas que atuam engajadas nas causas ambientais possem melhor imagem junto aos consumidores, sendo preferidas no momento da aquisição de produtos.


Tendo em vista os aspectos acima, uma ótima maneira de se obter economia em instalações elétricas é a utilização do dimensionamento econômico-ambiental de cabos elétricos.


Este conceito é muito simples e tem como base o Efeito Joule, ou seja, cabos elétricos esquentam com a passagem da corrente elétrica, gerando perdas que são pagas pelo usuário.


Sobredimensionar os cabos diminui o aquecimento e portanto gera uma diminuição das perdas.


Veja o exemplo a seguir:


Dados do circuito elétrico:


👉Tipo de circuito: alimentador trifásico de quadro elétrico

👉Método de Referência (B1) - NBR 5410 - Canaleta ventilada no piso ou solo

👉Tensão: 380 (V)

👉Fator de potência: 0,92

👉Corrente: 100 (A)

👉Potência ativa: 60,5 kW

👉Comprimento do circuito: 100 (m)


Usando um critério apenas técnico, temos o seguinte cabo:


👉Cabo de cobre unipolar, 1 kV, 25 mm2 (fase)

👉Custo do alimentador: R$6.500,00


No entanto, no dimensionamento econômico-ambiental temos o seguinte:


👉Cabo de cobre unipolar, 1 kV, 35 mm2 (fase)

👉Custo  do alimentador: R$9.000,00


Devido às perdas elétricas menores do cabo de maior bitola temos os seguintes resultados econômicos:


👉Custo do kWh: R$ 0,37203 (fonte: CEMIG)

👉Sem impostos inclusos, alimentação da fábrica em média tensão, tarifa azul, bandeira verde

👉Circuito alimentador do quadro energizado em tempo integral (muito comum em indústrias)

👉Energia anual consumida: 530 MWh

👉Custo energético anual dispendido pelo circuito: R$ 197.168,46

👉Economia anual estimada: R$ 2.635,10

👉Economia anual na emissão de CO₂: 712,19 kg CO₂


Em menos de um ano o consumidor recuperará o valor a mais investido, pois o custo adicional para adquirir um cabo mais grosso foi de R$2.500,00.


Confira na imagem uma estimativa da economia total gerada em 30 anos que é a vida útil esperada para o cabo, para diferentes taxas de juros.


Em empreitadas globais o instalador sempre colocará o cabo mais fino possível.


Portanto, é importante que o proprietário da instalação tenha consciência do conceito ilustrado acima, pois no longo prazo a economia acumulada chega a altos valores, amortizando os custos da instalação.


Precisa de projetos de elétrica ou treinamentos, entre em contato pelo whats 11 95696 7808.

52 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

תגובות


loja do mecanico.png
bottom of page